sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Os animais não votam, mas poderão ser vítimas dos eleitores



Nesta época de eleições surgem, como sempre, "espertos" de todos os tipos. Alguns prometem milhões de empregos, outros aumentar os salários e abaixar os impostos (essa nem um mágico consegue explicar), e assim por diante.

Com estes já estamos acostumados. Mas agora surge uma "nova espécie": O PROTETOR DOS ANIMAIS.

Como os problemas ambientais, defesa dos animais e proteção à natureza são questões cada vez mais comuns e que preocupam muitas pessoas, esta nova espécie de político surgiu, se aproveitando da falta de um conhecimento mais profundo da população.

Oportunistas de todo o tipo surgem com propostas "brilhantes" mas totalmente inviáveis ou que podem ocasionar grande prejuízo a causa dos animais, mostrando despreparo, desconhecimento e, o que é pior, má-fé.

Evidentemente existem diversas pessoas efetivamente engajadas e com grande conhecimento destas questões, e a elas devemos dar crédito e apoio, pois já demonstraram que seu trabalho é consistente e sério.

Portanto, CUIDADO ao ouvir propostas que envolvam proteção ambiental e aos animais. Estas são questões complexas e profundas, que afetam diversos ramos de atividade humana e grandes interesses econômicos.

Devemos procurar saber sobre o currículo deste candidato, o que já fez, de onde vem, quanto tempo faz que esta engajado na defesa dos animais, o que realmente pretende, e desta forma, CONSCIENTEMENTE, devemos votar e separar o "joio do trigo". 


O amor dos animais é incondicional, e a recíproca deve ser verdadeira.

Um protetor dos animais jamais usaria deste sentimento nobre para conseguir seu voto.


Nenhum comentário:

Postar um comentário